sábado, 27 de agosto de 2016

Flag Counter



























segunda-feira, 11 de novembro de 2013

POR QUE O EXALTASAMBA TOCA PAGODE E O ZECA PAGODINHO TOCA SAMBA?!

sexta-feira, 3 de maio de 2013


AS MUDANÇAS DA VIDA...

quinta-feira, 3 de maio de 2012

quinta-feira, 1 de março de 2012

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012





Clique na imagem para mais detalhes

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

AS DUAS FACES DO SER HUMANO


Em momentos de tragédias humanas, de espanto, como mães que abandonam récem-nascidos nas ruas geladas das madrugadas, chacinas nas escolas, pais assassinando filhos, vem a pergunta: o ser humano é bom ou mau?
O ser humano é bom e mau, as pessoas são ao mesmo tempo boas e más, não há como escapar a este destino já anunciado.
O cérebro humano tem 200.000 anos de idade,herdado de nossos antepassados, é precário, bruto, anacrônico, ultrapassado, pré-histórico, bárbaro. Era preparado, em eras anteriores, para caçar, comer e dormir, como um animal que é, e vai continuar sendo, até que a evolução o alcance. É com esse cérebro que nos viramos até hoje, procurando alcançar o progresso espiritual, a ética, a moral, o aperfeiçoamento do Homem, rumo a dias melhores, ao resgate da miséria e da fome, das guerras e das epidemias, que ainda envergonham o ser humano.
Com esse cérebro ultrapassado, inventamos maravilhas, estudamos, nos aperfeiçoamos como criaturas.
O ser humano é um animal. Não é vegetal, nem mineral. É animal, dito racional, o que duvidamos nesses momentos de barbárie.
Somos o resultado de dois fatores: a genética e o meio ambiente, que agem meio à meio, influenciando as nossas atitudes e comportamentos.
Para o filósofo Mounier "o Homem é essencialmente bom, o que corrompe o Homem é o meio ambiente."
Já para a Sociobiologia, o Homem é como um robô biológico, a Genética determina todos os nossos passos. Se a pessoa tiver que matar outra, aos 33 anos, inevitavelmente o fará, à despeito de nossos melhores esforços em contrário.
Tenho em mente um pequeno e grande ditado: "Dentro de mim há 2 cachorros: um deles é cruel e mau; o outro é muito bom.
Os dois estão sempre brigando. O que ganha a briga é aquele que eu alimento mais frequentemente".
Creio, que a Cultura é que poderá resgatar nossos melhores valores, atenuar nossas mazelas e injustiças e fazer do Homem, uma criatura feliz e plena.
Vamos, por enquanto, semeando nossas sementinhas, para os filhos e netos. E melhor, para aqueles que nos rodeiam, amigos e queridos de nossos corações.